Lá estava ele, sabendo quem era ela, e ela, ela nem sabia que ele existia, vá, sejamos realistas, conhecia o rapaz de vista, talvez das vezes que se cruzara com ele, talvez pelas vezes em que ambos se encontravam no mesmo local (fruto da inocente perseguição que ele praticava) , ou até por ele ter uma daquelas caras familiares.

Tudo isto memórias, memórias com dois anos, e, desde então muita coisa mudou.

Melhores momentos vieram, Will deu o 1º passo e foi falar com ela, criou-se ali uma amizade, tornaram-se confidentes, ela deixou de olhar para ele apenas como um amigo, a relação evolui, amantes, namorados, mais tarde, noivos!

Já tinham iniciado os preparativos para o casamento, tudo sobre rodas. Estavam a tomar um café num centro comercial depois de umas compras, conversavam, riam e trocavam olhares, como era habitual de há dois anos para cá. Vários homens, todos encapuçados e empunhando armas entraram por aí a dentro, gritando palavras de ordem, e afirmando que aquilo era um assalto.

Jane assustada levantou-se da cadeira com um impulso, um dos assaltantes disparou como que em reflexo, passou assim a homicida.

Jane caiu desamparada aos pés de Will, e ele, ele esqueceu-se de tudo, esqueceu-se do mundo, do centro comercial, do café, da conversa, dos homens encapuçados, esqueceu-se da mortal chuva de balas, e baixou-se ao lado de Jane, atingida no pescoço, ele derramava lágrimas sobre o corpo dela, pegou-lhe ao colo, e, ainda em câmara lenta levantou-se e andou, estava no seu mundo, longe de tudo o resto, abandonou o local com o seu amor no colo, lá fora a chuva caía, mas isso não o impediu, continuou a andar pelo infinito do espaço.

Will apercebeu-se daquilo que sentia por Jane, ela era o seu Mundo, era o que o sustentava e o que o mantinha vivo, sem ela, ele não era nada.

Will morreu também, de desgosto, e nunca mais ninguém ouviu falar nele.

6 comentários:

Joaninha disse...

Bem, muito bem, João! É tristinha e dramática a história, mas muito intensa. Gostei. :)

Retalhos de sonhos disse...

Gostei tb ! :)

E gosto tb da imagem .. acho q tem a ver com a história !

Bom trabalho ;D *

A Túlipa disse...

As histórias tristes são sempre bonitas. E São ao mesmo tempo cinzentas e cor de rosa =]. por isso são sempre boas de ler.
Bem escrito =]

Maria disse...

o sentimento de perda reflecte a plenitude dos sentimentos que temos por alguém.
gostei *

Joana disse...

Gostei muito... :)

seni disse...

Senti amor, medo, uma profunda tirsteza. Ouvi a conversa deles, e senti o barulho da bala. Está fenomenal. Os meus parabéns. A primeira visita. Vou fazer muitas mais.

beijinho*

Enviar um comentário