Ser da Imaginação



Não sei mais o que fazer
Para acabar com esta desolação
Acabar com este grande ser
Da minha pequena imaginação

Um ser que voa pelo infinito
Com enormes passos de gigante
Se torna em algo por escrito
Quando vem de forma errante

Posto no papel por alguém
Alguém de uma forma inferior
Que usa este ser, e também
Que almeja um dia ser escritor

Faz de cavaleiro errante
Numa forma muito natural
No cimo de uma nuvem galopante
E que a ninguém faz mal

Uns dizem que é vil
Outros que é horrendo
Sempre que sai do covil
O povo corre gemendo

Gemendo e fugindo
De quem ninguém magoa
Ele anda caindo
Sem amparo nem proa

Assim se segue a vida
De um ser da imaginação
Sem um sentido que liga
A dor à razão



Raíz da imagem: www.Deviantart.com
Texto de: João Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário